Peitoral Menor – O Rei da Compensação

Peitoral Menor – O Rei da Compensação

Outro ótimo artigo escrito pelo David Weinstock, criador da Terapia Neurocinética, analisando o peitoral menor visto pela ótica desta extraordinária técnica.

Para ler no original em inglês: The Pectoralis Minor, King of Compensation

 

 

Peitoral Menor – O Rei da Compensação

David Weinstock

 

O peitoral menor é um músculo que torna-se facilmente encurtado e rígido devido a muitos fatores, incluindo: Postura de ombros arredondados, disfunção da articulação glenoumeral, disfunções na respiração e uma variedade de padrões de compensação. Ele se localiza no alto do plexo braquial e portanto pode contribuir para a “Síndrome do Desfiladeiro Torácico”.
pectoralis-minor-2O peitoral menor é localizado em uma área do ombro junto com muitos outros músculos, incluindo o peitoral maior, bíceps braquial, deltóides, coracobraquial, subescapular, serrátil anterior e latíssimo do dorso. Tenho visto que um conjunto de músculos como estes, pode se tornar disfuncional devido a uma biomecânica ruim. Isto pode levar a adesões, facilitação/inibição e dominância sinergística. O peitoral menor é frequentemente o músculo sobrecarregado nestes padrões compensatórios.

Forward-head-posture-conditionPostura de ombros arredondados e cabeça para frente irá causar um encurtamento no peitoral menor. Esta ação é chamada de protração e é contrabalançada pelos músculos da retração; Dentre estes se inclui o trapézio médio e os rombóides. Comumente, o peitoral menor torna-se facilitado e o trapézio médio se torna inibido. A liberação do peitoral menor seguida pelo fortalecimento do trapézio médio pode ser bastante efetivo nestes casos. Como o peitoral menor arredonda o ombro, ele é contrabalançado pelo latíssimo do dorso neste ação, já que o latíssimo move o ombro para trás e para baixo. Novamente, liberação do peitoral menor seguida do fortalecimento do latíssimo do dorso pode ser bastante efetivo.

forward-head-posture-dysfunction1

O peitoral menor é um rotador inferior da escápula e frequentemente está envolvido em disfunções na articulação glenoumeral. Se ele estiver facilitado, pode acabar inibindo o serrátil anterior, que contribui para a rotação superior da escápula. Isto pode levar à uma “Síndrome do Impacto” e as vezes escápula alada. A instabilidade resultante contribui grandemente para disfunção na articulação do ombro.
shoulder_impingement_intro01O peitoral menor também é um rotador interno do úmero. Quando se encontra facilitado, pode inibir os rotadores externos, incluindo: A porção longa do bíceps braquial, deltóide posterior e o infraespinal. Uma lesão comum que ocorre nesses casos é quando o tendão da cabeça longa do bíceps braquial sai fora do sulco intertubercular (N.T:sulco bicipital) e se move medialmente em direção à cabeça curta do bíceps.
biceps_braquial

A liberação do peitoral menor seguido pela recolocação do tendão da porção longa do bíceps braquial no local correto é muito efetiva nestes casos.
(N.T: Aqui está um vídeo deste protocolo: NeuroKinetic Therapy – Repositioning the Long Head of the Biceps).

O peitoral menor também contribui para disfunções na cadeia cinética. Por exemplo, na linha frontal do corpo, o peitoral menor pode inibir o psoas. Na linha diagonal, ele pode inibir o psoas contralateral. Isto é um fator em disfunções na marcha. Em se tratando de marcha, ele também pode inibir o balanço para trás do braço contralateral e o balanço para trás da perna ipsilateral (N.T: Contralateral e ipsilateral em relação ao peitoral menor que está facilitado, ou seja, sobrecarregado).
A rotação torácica direita pode ser inibida pelo peitoral menor direito em virtude de sua contribuição na rotação interna.

Por último, o peitoral menor pode contribuir para disfunções no padrão respiratório. Pessoas que tem respiração apical (N.T: Pessoas que usam demais a parte superior do tórax na respiração), comumente tem facilitação no peitoral menor e escalenos, que são músculos que elevam o gradil costal. Estes são opostos pelo quadrado lombar, que deprime o gradil costal. Se o quadrado lombar se torna inibido, a possibilidade de dor lombar aumenta bastante. Liberação do peitoral menor seguido pelo fortalecimento do quadrado lombar não apenas pode aliviar a dor lombar, mas também pode ajudar a repadronizar uma mecânica respiratória disfuncional.

Músculos da respiração O peitoral menor é um pequeno e poderoso músculo, que pode frequentemente tornar-se facilitado e contribuir para um bando de padrões compensatórios. Não esqueça deste músculo quando tratar dor no pescoço, ombro, braço, mão, quadril e perna, além de disfunções no padrão respiratório.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *